Google + Jovem Foodie: Janeiro 2014

22 de janeiro de 2014

Bolo de Oreo

Não é novidade pra ninguém que eu sou louco pelo biscoito Oreo. Em 2012 eu fiz uma página no facebook chamada Queremos Oreo de volta no Brasil, porque ele estava indisponível em terras brasileiras desde o meio da minha infância. Não sei se tive lá grande efeito, mas sei que fiz a minha parte, inclusive nos diversos emails enviados a Mondelez (atual Kraft Foods), fabricante do Oreo. E, bem, o Oreo voltou em meados de 2013.
Sendo a marca de biscoitos mais vendida no mundo, pra mim era inconcebível que o Oreo não fosse comercializado no Brasil também! Minha revolta só aumentou depois que, em uma viagem para o Chile, vi a variedade de "Oreos" diferentes existentes (lá e no restante do mundo).
Eu nunca aceitava quando comparavam com o biscoito Negresco, dizendo que eram a mesma coisa. Não, não são! Apesar de os dois serem compostos por duas casquinhas de chocolate envolvendo um recheio branco e cremoso sabor baunilha, o Oreo sempre teve pra mim um sabor mais suave e adocicado, com uma leve lembrança de infância... Lembrança esta que voltou assim que dei a primeira mordida no Oreo novamente brasileiro :-)

Sabendo minha fixação por Oreo, minha mãe sempre compra pacotes e mais pacotes dessa maravilha, acabando por ter várias unidades "estocadas" aqui em casa. Assim, frequentemente surgem receitas e invencionices com este biscoito, assim como a receita que posto hoje.
Trata-se de um bolo branco, com sabor de baunilha, muito macio, e com varios biscoitinhos Oreo picados no seu interior, revelando uma surpresa deliciosa para quem come. Muito fácil esta receita, vamos ver?


Bolo de Oreo

Ingredientes:

  • 3 xícaras de farinha de trigo
  • 1 1/2 xícaras de leite
  • 3 cl sopa de manteiga (em temperatura ambiente)
  • 2 1/2 xícaras de açúcar
  • 2 cl café de essência de baunilha
  • 3 ovos (separados em gema e clara)
  • 2 cl chá fermento em pó quimico
  • 24 a 30 biscoitos oreo, picados grosseiramente à mão
  • Uma pitada de sal (para as claras)

Como fazer:

Na batedeira, adicione as 3 claras e uma pitada de sal, e bata até ponto de neve. Reserve em outra vasilha.
Voltando a batedeira (sem as claras agora), adicione as gemas, o açúcar e a manteiga e bata em velocidade média até que forme um creme esbranquiçado e uniforme. Se necessário, retire os ingredientes das laterais da vasilha utilizando uma colher ou espátula.
Em seguida, adicione a baunilha. Adicione alternadamente porções do leite e da farinha, sempre penerando a farinha, e batendo entre uma adição e outa até formar uma mistura homogênea. Ao final, bater por mais 3 minutos em velocidade alta.
Adicione o fermento em pó, e misture bem à mão utilizando uma colher de pau. Adicione os Oreos, misturando novamente à mão.
Adicione as claras aos poucos, mexendo de baixo pra cima para agregar valor ao camarote ar à massa.
Coloque a mistura em uma forma/tabuleiro grande, untado e enfarinhado, e leve ao forno por 45 minutos a 200°C, ou até que, ao enfiar um palito, a massa não grude (saindo seco). Após esfriar, tente não comer o bolo todo e reparta com seus amigos e familiares :)

21 de janeiro de 2014

Molho agridoce chinês (normal e diet)


Essa receita foi um resultado final depois de muitas tentativas de adequar o sabor, textura e cor, para ficar o mais parecido com o molho agridoce que a gente encontra em restaurantes chineses/japoneses (geralmente servidos com o Harumaki, ou rolinho-primavera).

É um molho saboroso para vários pratos, como frango, porco, empanados, etc. É ideal para quem gosta de um sabor diferente, mais oriental, com uma certa picância (do vinagre). E super fácil de fazer, tanto na sua versão normal quanto na diet. Eu fiz uma grande quantidade porque acaba rápido aqui em casa, mas nada impede de você fazer uma parte dela, apenas adequando os valores.
Vamos a receita:

Ingredientes

  • 690g de molho de tomate (uma garrafa)
  • 350 mL de vinagre branco (de maçã, de álcool ou etc)
  • 4 colheres de sopa de molho shoyu
  • 250 g de açúcar, ou 2 colheres de sopa de adoçante (recomendo usar o Magro, líquido)*
  • 1 1/2 colher de chá de sal
  • 2 colheres de amido de milho
*Ao colocar o açúcar, comece com 150 g, e vá adicionando aos poucos até adequar ao seu gosto

Como fazer

Em uma panela, misture todos os ingredientes, mexendo bem com uma colher de pau e "amassando" as possíveis bolotas de amido que podem surgir. Não ligue o fogo até que todos os ingredientes estejam bem homogêneos, sem nenhuma pelota de amido.
Antes de ligar o fogo, prove um pouco, para adequar o sabor ao seu gosto. Você pode querer botar menos açúcar, ou mais vinagre, ou mais sal. Varia de pessoa para pessoa. A receita acima foi a que eu faço pra mim, e fica bom.
Feitas as correções, ligue o fogo médio, e aqueça por cinco a sete minutos, até que comece a engrossar, sempre mexendo com uma colher de pau. Desligue o fogo e deixe esfriar. Guarde em um pote de vidro limpo, e armazene na geladeira.

19 de janeiro de 2014

Receita: Alfajor Caseiro

A receita do alfajor é tão saborosa que é quase inacreditável ser tão simples assim!
É uma receita fácil de fazer e que é quase certeza de agradar qualquer um (até quem fala que não gosta de alfajor).
Não tirei esta receita de lugar nenhum. Um belo dia, depois de comer um alfajor daqueles industrializados, pensei em como poderia fazer um em casa, simples, barato e tão bom quanto os do mercado. Fiz algumas tentativas, e acabei ficando com a receita mais simples de todas.
E o engraçado é que sempre que levava pra alguém, ficava super despretensioso, acreditando que as pessoas iam achar "normal" ou sem graça, mas o que acontece é justamente o oposto: todos amam!
Na primeira fase do JovemFoodie, a receita que eu mais fazia era o brigadeirão. Nessa segunda fase que se inicia hoje, posso afirmar: Alfajor é a receita!
Vamos a ela?



Ingredientes

  • Biscoito tipo "maria" ou biscoito da "vaquinha" (de" leite maltado" ou de "leite e coco" da piraquê) ou similar 
  • Doce de leite pastoso (eu uso da marca Itambé, que vem em lata)
  • Chocolate (nobre ou fracionado, fica a seu critério e habilidade)
  • Essência de baunilha
Obs.: Para fazer um alfajor maior, eu uso a bolacha Maria. Quando é para alguma festa, onde as pessoas comem menos de mais pratos, eu faço com o biscoito da vaquinha, pelo seu tamanho menor.
O doce de leite precisa ser de qualidade, que fique firme em temperatura ambiente. Não estou ganhando nada da Itambé, mas a textura desta marca é a mais adequada que encontrei até hoje.
Eu uso chocolate fracionado por sua facilidade de trabalhar, mas dá para fazer com o nobre tranquilamente.



Como fazer

Primeiramente, misture a essência de baunilha no doce de leite, na proporção de 1 colher de chá para 400g de doce de leite.
Pegue as bolachas e coloque uma porção de doce de leite, tentando deixar ao máximo possível no centro. (Se for a bolacha maria, é cerca de uma colher rasa das de sopa. Se for o da vaquinha, é uma colher de chá cheia). Em seguida, colocar uma bolacha por cima, e apertar até que o doce de leite apareça nas bordas (veja a foto).
Se você quiser algo ainda mais gostoso, faça com duas camadas de doce de leite: quando for colocar o outro biscoito, antes de apertar, coloque uma nova porção de doce de leite, para só então colocar um outro biscoito e apertar.
Coloque todos os biscoitos com doce de leite em um tabuleiro, e leve ao congelador por algumas horas, até que o doce de leite esteja bem firme e gelado.
Derreta o chocolate em um recipiente fundo no micro-ondas ou em banho-maria, faça a têmpera (se for chocolate nobre) ou espere esfriar um pouco (se for fracionado). Utilizando um pegador próprio pra isso ou um garfo, mergulhe o biscoito com doce de leite no chocolate. Tire o excesso (deixando escorrer de volta para o recipiente). Coloque o alfajor sobre uma grade ou sobre o papel alumínio. Repita isso até que todos os alfajores estejam prontos.
Leve para o refrigerador para o chocolate endurecer, e está pronto!
E tente não acabar com todos no mesmo dia haha

Espero que gostem, e até a próxima :-)